Os Bolivianos em São Paulo

El Dorado e o livre trânsito no MERCOSUL.

imagesAtualmente, a imigração Boliviana é fato consolidado na cidade de São Paulo, e representa a fuga de uma economia problemática, da instabilidade política e social, assim como, a baixa expectativa de desenvolvimento que este povo enfrenta em seu país de origem.  Porém a busca por melhores oportunidades em um novo território, muitas vezes, se mostra como situação inóspita, uma vez que, a maioria dos imigrantes vivem na ilegalidade e se submetem a exploração e condições sub-humanas para permanecerem no Brasil. Continuar lendo

Rede cega

Precisa de mais que uma frase de efeito pra fazer revolução. Hoje em dia, PT e PSDB é tudo farinha do mesmo saco, mermão!”

    Não adianta ler Marx e não dar bom dia pro porteiro! Não adianta aplaudir Gustavo Franco e bufar pro patrão exigindo acordo coletivo e décimo terceiro.

Especialmente em ano de eleição e em mês de julgamento do mensalão, o que não falta na rede é blogagem política ou no português bem claro, politicagem de quinta.

Fanatismo ideológico é uma falsa consciência que facilmente caracteriza qualquer individuo como ignorante, inepto e intolerante; na política não é diferente.

Não adianta sair na rede arrebanhando prolixos sobre o nada, frasistas vagantes seguidores de qualquer “pseudo especialista”, porque meu caro amigo, isso não é fazer política. É no máximo o espetáculo de uma marcha de neo-caipiras que se dizem politizados e que agora ganharam algum espaço graças à web 2.0.

Continuar lendo

Cale-se

A saga de Vannucchi Leme e a truculência do Estado ainda hoje

Fizeram um corredor polonês por onde ele foi obrigado a passar sob uma saraivada de cassetetes e mangueiradas de borracha (…) Fios, pauladas, palmatória, muita pergunta, muita pergunta e ela, a cadeira do dragão…

O trecho acima foi extraído do depoimento de Adriano Diogo sobre sua passagem pelo DOPS, e se encontra no livro – Cale-Se – escrito por Caio Túlio Costa.  O livro é uma reavaliação sobre uns dos períodos menos discutidos da história da política nacional, trazendo uma nova abordagem sobre a militância estudantil da USP.

A obra explana os bastidores do movimento estudantil e, a truculência da polícia, a vulnerabilidade da mídia e a manipulação de informações do Estado emergem das páginas do livro por meio de depoimentos de militantes e seus familiares, criando um ritmo quase cinematográfico e revelando grande potência narrativa.

Continuar lendo